Aqui vamos para o nosso quarto post da série Dicas Sierra Guinchos. Para esse mês de julho, vamos apresentar uma dica que é muito valiosa para todos, estado de alerta com a fadiga.

Nós motoristas somos seres humanos e assim estamos sujeitos a vários fatores biológicos e necessidades que afetam a nossa capacidade de dirigir com segurança.

Quais são esses fatores humanos na direção que acabam influenciando no nosso modo de dirigir:

Habilidade

  • As habilidades e conhecimento motorista;
  • A experiência do motorista perante a necessidade;
  • Conhecimento do caminho a ser percorrido;
  • Saber o que e quando fazer de forma segura;

Capacidade

  • Estado físico, psicológico e biológico de uma pessoa;
  • Essa pessoa está bem descansada?
  • Essa pessoa está alimentada?

E quais são os fatores que mais afetam a direção segura…

  • Fadiga;
  • Capacidade reduzida para agir normalmente devido ao esforço prolongado (trabalho ou sono reduzido);

Quais são os sinais que não estamos mais aptos a uma direção segura

  • Perda de concentração;
  • Bocejo;
  • Coceira nos olhos;
  • Tensão nas costas e ombros;
  • Reação lenta;
  • Irritabilidade e inquietação;
  • Sono;
  • Pequenas manifestações das ondas de sono;
  • Duração de segundos ou minutos;
  • O piscar de olhos se torna mais lento;
  • Geralmente acompanhado de uma inclinação da cabeça;
  • Perda de consciência;
  • Fadiga/monotonia induzida;

perigo-de-dirigir-com-sono

Esses sinais nos levam a um estado que é chamado de Síndrome do Comportamento Automático.

Essa síndrome nos leva aos seguintes sintomas:

  • Dormir com os olhos abertos;
  • Olhar fixo, sem piscar os olhos;
  • Perda da percepção e memória;
  • Fadiga/monotonia induzida;

sono

Um sono ou micro-sono pode tirar sua atenção por até 5 (cinco) segundos, que pode parecer pouco, mas nesses segundos, em alta velocidade, percorre-se uma distância considerável sem prestar atenção no trânsito. Se estiver a 120km/h, é dificílimo parar o carro e, ao despertar, a chance de acidente é enorme. Em 10 metros você já sai da estrada e cai em uma ribanceira ou pode atravessar a pista e bater de frente em um veículo que trafega em direção oposta, ou mesmo se chocar contra uma barreira de contenção.

O motorista com sono sente dificuldades em manter os olhos abertos e focados, além dos pensamentos ficarem vagos e desconexos. O condutor começa a piscar mais lentamente, e sente dificuldades em manter a mesma velocidade, podendo até sair da pista. Não notar sinalizações, retornos ou errar o caminho também podem ser consequências da privação do sono.

 

Capa-ONSV-3

Uma estatística que preocupa.

O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) alerta que até 20% de todos os acidentes de trânsito estão associados à sonolência.

É o que mostra um estudo conduzido pela Academia Brasileira de Neurologia (ABN). Segundo os resultados da pesquisa, lançada em março de 2017, os horários com mais incidência de acidentes são durante a madrugada e após o almoço.

Por este motivo, o Detran.SP orienta que os motoristas só dirijam se tiverem condições para isso.

“Assim como os acidentes causados em decorrência do consumo de bebida alcoólica, os acidentes ocasionados pelo sono podem e devem ser evitados. Para isso, é preciso conscientização dos motoristas. É importante que o cidadão sempre conduza seu veículo com segurança”, ressalta o diretor-presidente do Detran.SP, Maxwell Vieira

A pesquisa, que entrevistou 495 pessoas, mostra que 40% dos participantes afirmaram que já ziguezaguearam na estrada e metade já parou na via por sentir sono.

Entre os entrevistados, 61% assumiram que costumam dirigir no dia seguinte a uma péssima noite de sono. Cerca de 10% das pessoas afirmaram dirigir com sono e 23% o fazem de 2 a 3 vezes por semana.

O resultado? Mais da metade dos participantes conhece pelo menos uma pessoa que quase se acidentou e 39% conhecem alguém que efetivamente sofreu acidente por ter pegado o volante com sono.

O que fazer se sentir os sintomas da fadiga e sono

Normalmente e popularmente os motoristas costumam a usar artimanhas para tentar vencer o sono e fadiga, ar frio, tomar água ou ouvir música alta não resolvem o problema para quem está com sono, tendo, no máximo, efeito por poucos minutos.

Então esqueça o café ou qualquer tentativa de burlar a sonolência. O que realmente funciona é não pegar o volante com sono, evitar dirigir por períodos longos sem parada, viajar sozinho depois de uma noite mal dormida ou após um longo dia de trabalho. Também é importante observar a bula de remédios para não dirigir após tomar medicamentos que têm como efeito colateral a sonolência e, em hipótese alguma, dirigir após consumir bebida alcoólica. Caso sinta os sintomas, pare imediatamente o seu veículo de forma segura e tente descansar, procure por locais como postos de combustível no trecho da rodovia de forma que fique em local seguro e possa descansar  seguindo viagem de forma segura para você, sua família e todos no trânsito.

Lembre-se sono e direção não combinam, é melhor chegar com vida.

Essa foi mais uma dica da série Dicas Sierra Guinchos. Todos os meses voltaremos com mais

Sierra Guinchos – Nós cuidamos com você.